Peça de Teatro “A Crise”

encenação de Guilherme Roda

30 Set 23h30
Peça de Teatro  “A Crise”

Se todos déssemos as mãos, uns aos outros, em prol duma corrente de equilíbrio, talvez se salvasse alguma coisa deste mundo em constante declino. Quem sabe, a minha mão e a tua conservam ainda alguma utilidade. O gatilho e a forca são excitantes, mas tudo arrefece, mesmo o coração do vulcão. Por que não acreditarmos que as nossas mãos ainda são capazes de amar?
É tudo inútil. As nossas mãos, as minhas e as tuas já não são mãos. Não há nada que nos possa segurar. Estamos perdidos num mar sem âncora. Já não temos mãos, dissolveram-se sobre fel dos nossos dias. Agora, sem mãos, que mais nos resta? Não podemos contar com o outro, já não há mãos que nos liguem. Eis a ruptura da humanidade.
Desde que conhecemos o abandono das nossas mãos, o outro deixou de existir. Mas a extinção do outro, não será a nossa? Desculpem-me, o certo seria, nós deixamos de existir. Não há mais mãos, nada que nos possa amparar. Estamos suspensos no vácuo à espera que alguém nos venha buscar. Mas quem? Se está tudo extinguido! Se o outro já não existe ou melhor se a nós próprios nos falta existência. A falta será a ausência ou a presença? 
A podridão do mundo é a única coisa que floresce neste deserto. Sentes a decomposição do planeta? 
Actores: Castigo dos Santos, Eunice Mandlate, Fernando Macamo, Marisa Bimbo e Yuck Miranda. 
Encenação de Guilherme Roda